10 DICAS PARA AUXILIAR UMA MULHER EM TRABALHO DE PARTO.


Na hora do trabalho de parto, é natural que nos esqueçamos da maioria das coisas que estudamos e aprendemos a respeito da gestação, parto e pós-parto.

O parto é um fenômeno tão envolvente que às vezes a mulher não se lembra nem de respirar! Cabe ao acompanhante e à Doula lembrar dos detalhes mais importantes e manter a mulher centrada no bom caminho, até o momento do nascimento.

Veja a seguir dez dicas úteis para ajudar a mulher a vivenciar seu trabalho de parto da melhor maneira possível.

Espero que gostem!

DICA NÚMERO 1: LEMBRE-A DE BEBER ÁGUA REGULARMENTE

A maioria das mulheres respira pela boca durante as contrações mais fortes, e pede muita água durante o trabalho de parto. Porém, algumas mulheres esquecem de beber água, apesar de sentirem a boca seca.

É sempre bom deixar uma garrafinha ou copo por perto e lembrar a parturiente de beber com frequência. Não é incomum a mulher ficar um tempão sem beber e depois beber um copão de água de uma vez, vomitando tudo em seguida, portanto é bom incitá-la a beber em pequenas quantidades de cada vez.

DICA NÚMERO 2: ESTIMULE-A A FAZER XIXI REGULARMENTE

Assim como a mulher esquece de beber água durante o trabalho de parto, ela muitas vezes se esquece também de urinar. A bexiga cheia atrapalha o bom desenrolar do trabalho de parto, pelo simples motivo que ela fica bem no meio do caminho do bebê! Uma boa dica é pedir para a mulher urinar no chuveiro, se possível de cócoras. Essa posição contribui muito para o bom desenrolar do trabalho de parto.

DICA NÚMERO 3: AJUDE-A A VOCALIZAR.

A reação normal das pessoas quando sentem dor é tensionar a mandíbula. No trabalho de parto, essa tensão atrapalha, pois ela inicia um processo de contração muscular que vai descendo pescoço abaixo e “trava” o períneo da mulher.

A melhor coisa a fazer na hora da contração é abrir a boca. Falar AAAAAAA abre a garganta, e isso cria um canal energético que vai até a vagina, facilitando a dilatação. Quando a mulher se entrega a seu parto, sem travar, ela muitas vezes emite sons que lembram muito os sons de uma relação sexual prazerosa. E isso pode deixá-la constrangida ou com vergonha.

Sempre que possível, procure ajudar a mulher a se sentir confortável o suficiente para vocalizar. Se necessário, vocalize junto.

DICA NÚMERO 4: USE E ABUSE DA ÁGUA QUENTE

O calor é a melhor coisa para aliviar sensações dolorosas. A bolsa de água quente, fiel parceira de quem sofre regularmente de cólica menstrual, também é uma excelente aliada durante o trabalho de parto. Pode ser usada tanto na barriga como nas costas e, para permitir a movimentação, basta enrolar uma canga em volta da bolsa de água quente a amarrar em volta da cintura da mulher. O chuveiro também é um aliado poderoso que auxilia no relaxamento e costuma ser o refúgio preferido de muitas mulheres durante o trabalho de parto.

DICA NÚMERO 5: OFEREÇA ALIMENTOS, MAS NÃO FORCE

Segundo a recomendação da Organização Mundial da Saúde, a mulher deve ter liberdade para se alimentar durante o trabalho de parto. No entanto, quando as contrações vão ficando mais fortes e doloridas, muitas vezes a mulher não quer mais comer nada, ou então ela até quer comer, mas ela não consegue, pois a intensidade da dor a faz vomitar. Para evitar que falte energia e a mulher tenha uma hipoglicemia, mel é um excelente aliado! As Doulas costumam ter saquinhos de mel na bolsa sempre.

DICA NÚMERO 6: NÃO EXAGERE NOS EXERCÍCIOS

Sabemos que algumas posições e movimentos ajudam no trabalho de parto. Mas não é necessário fazer uma maratona de exercícios para acelerar o TP, se isso significa que na hora do expulsivo a mulher vai estar exausta! A posição de cócoras é muito bem-vinda durante o parto e um dos melhores exercícios para a mulher em TP é o andar de patos, que nada mais é do que dar alguns passos na posição de cócoras (não precisa ser 1km!). Aproveite os momentos em que as contrações estão vindo com ritmo e força para fazer esses movimentos.

DICA NÚMERO 7: SE AS CONTRAÇÕES DIMINUÍRAM, DEIXE A MULHER DESCANSAR.

Não é incomum o trabalho de parto progredir de maneira irregular, com momentos de alta intensidade de contrações e momentos mais tranquilos onde as contrações parecem espaçar-se. É ainda mais comum as contrações diminuírem de intensidade e pararem quando a mulher está cansada ou está há muito tempo sem se alimentar. O corpo naturalmente sabe quando precisa preservar a mulher para os momentos mais intensos que estão por vir. Aproveite esta “trégua” nas contrações para ajudá-la a descansar e alimentar-se.

DICA NÚMERO 8: FAÇA-A DANÇAR E RIR O MÁXIMO POSSÍVEL

Dançar é uma ótima pedida para descontrair o ambiente do trabalho de parto e ajudá-lo a progredir. Uma das músicas que mais cai bem na cena do parto, na minha opinião, é a dança da boquinha da garrafa.

Pode rir! A primeira reação de todas as pessoas quando alguém coloca essa música é mesmo cair na gargalhada! E isso é ótimo! Produz endorfinas, que ajudam a aliviar as tensões e a sensação de dor. Logo em seguida, na maioria dos casos, as pessoas vão colocar as mãozinhas no joelho e começar a rebolar.

E a descer, assumindo a posição de cócoras. E pronto: temos três elementos essenciais para o bom desenrolar do trabalho de parto em apenas 30 segundos de música de gosto duvidoso!  (outras músicas com efeito similar: Despacito, O Funk das Poderosas… Complemente esta lista! Deixe nos comentários o nome de uma música bem-humorada para rir durante o trabalho de parto!)

DICA NÚMERO 9: BEIJE-A. NA BOCA. DE LÍNGUA!

Beijar favorece a liberação de endorfinas e ocitocina. A presença contínua e o suporte carinhoso do companheiro ajudam a mulher a lidar melhor com a dor das contrações, reforçam o vínculo do casal e facilitam o estabelecimento do vínculo precoce entre pai e bebê. Quanto mais vocês se beijarem ao longo do trabalho de parto, melhor! Não se preocupem com as pessoas que podem se sentir incomodadas com isso, a tendência é elas naturalmente se afastarem e deixarem vocês em paz.

DICA NÚMERO 10: CURTAM O TRABALHO DE PARTO EM CASA O MÁXIMO POSSÍVEL

Quanto menos tempo a mulher ficar em trabalho de parto no hospital, melhor! Melhor para ela, que estará em um ambiente familiar e confortável, se sentindo segura e curtindo as suas coisas e as pessoas da sua escolha, e melhor para o hospital também, já que ela não vai ficar lá um tempão, ocupando um leito à toa.

Aproveitem os momentos iniciais do trabalho de parto, quando as contrações ainda são totalmente suportáveis, para se despedirem da barriga uma última vez: escrevam uma carta, ou façam um desenho expressando suas sensações neste momento, e guardem para mostrar ao seu filho depois. Conversem com a barriga, acariciem-na, desenhem nela e tirem as últimas fotos desse momento tão especial que é a gestação.

Gravem um vídeo. Conversem um com o outro, com a Doula, expressem seus medos e dúvidas. Chorem, de alegria e de tristeza. Entreguem-se ao parto com todo o seu ser, corpo e alma, juntos.

Quando a mulher já não encontrar mais posição confortável por causa da intensidade das contrações, quando ela já não estiver mais para papo e não achar mais graça nas piadinhas e brincadeiras das pessoas a sua volta, é sinal de que está na hora de ir para a maternidade.

Normalmente, nesse ponto, as contrações vêm em média a cada quatro ou cinco minutos e fica cada vez mais difícil distrair a mulher, que reclama de calor e geralmente geme alto, ou grita durante as contrações. Na maioria dos casos, é ela mesma quem levanta e diz que está na hora de ir. Confie nela!

E boa hora!