Quer emagrecer? Siga essas 45 dicas comprovadas pela ciência


  • 45 45Liderada pela University of Bath, uma pesquisa recente mostrou que ter uma alimentação balanceada antes do exercício prepara melhor o corpo para queimar os carboidratos (que já estavam estocados) durante a prática e digerir mais rapidamente os que foram ingeridos. Ótima notícia para quem quer manter o peso controlado, não é?
  • 1 45Segundo pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, incluir uma sobremesa na parte da manhã pode ser decisivo para perder quilinhos indesejáveis. O “milagre” acontece porque é na parte da manhã que o metabolismo está mais ativo. O estudo mostra que comer carboidrato pela manhã não influenciou na perda de peso durante a dieta e ainda manteve o emagrecimento por mais tempo
  • 2 45Cortar calorias pode ser mais eficiente para quem quer emagrecer do que adotar uma dieta que restringe porções de gordura, carboidrato ou proteína. É o que destaca estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition. A descoberta foi obtida depois de comparar quatro dietas e mostra que não importa de onde vêm as calorias, contanto que a dieta as reduza
  • 3 45Comer em pratos menores ajuda a comer menos, mas de acordo com um novo estudo publicado no Journal of Consumer Research, a cor da toalha e do prato também ajudam a reduzir o consumo de alimentos. Quando o contraste entre a comida e o prato ou toalha era maior a quantidade servida diminuía em 21%
  • 4 45Em vez de contar as calorias do alimento, conte quantos minutos de exercício terá de fazer para queimar suas calorias. Pesquisadores da Johns Hopkins’s Bloomberg School de Saúde Pública (EUA) realizaram um experimento em que lojas mostravam ao lado de bebidas a quantidade de calorias ou a quantidade de tempo de caminhada necessária para eliminar as calorias consumidas. O segundo foi mais eficaz
  • 5 45De acordo com uma nova pesquisa, desenvolvida na Universidade de Exeter (no Reino Unido), uma caminhada de 15 minutos pode diminuir a quantidade de chocolate comida por uma pessoa em quase metade
  • 6 45Estudo publicado na revista Journal of the American Dietetic Association mostra que comer muito rápido aumenta as chances de se tornar obeso. A pesquisa concluiu que os riscos aumentavam mais de 80% entre os que comiam muito rápido. A leptina, que manda sinais ao cérebro de que a pessoa está satisfeita, só é enviada após 20 minutos da primeira garfada
  • 7 45Dormir menos de oito horas por noite contribui para o ganho de quilos a mais. Um estudo apresentado no CHEST 2011, reunião anual de médicos do coração, indica que a falta de sono altera os hormônios leptina e grelina que ajudam a controlar a sensação de fome e de saciedade
  • 8 45Estudo organizado pela Universidade Cornell apontou que os alimentos que ficam localizados na frente de armários e geladeiras têm três vezes mais chances de ser consumidos. Mesmo mudando o local dos alimentos, sempre os da frente eram mais usados
  • 9 45O hábito de comer no cinema ou assistindo televisão contribui para que a pessoa coma de forma compulsiva, sem prestar atenção ao que come. A conclusão foi obtida em um estudo feito pelo pesquisador David Neal, da Universidade do Sul da Califórnia (EUA)
  • 10 45O chá verde é um bom aliado na luta contra a obesidade, diz estudo da USP. Durante a pesquisa, o grupo que consumiu a bebida e praticou exercícios físicos apresentou maior perda de gordura, ganho de massa muscular e aumento da força. Mesmo as mulheres que consumiram o chá, mas não praticaram exercícios físicos, perderam 5,7 kg em dois meses e mantiveram a massa magra
  • 11 45Em grandes quantidades o álcool está associado ao ganho de peso, mas consumido moderadamente, especialmente o vinho, há evidências de que ajuda a evitar a obesidade e os riscos ligados a ela como diabetes e hipertensão, segundo um grupo de pesquisa da Universidade de Navarro, na Espanha
  • 12 45O tipo de comida ingerida é mais importante para emagrecer do que a quantidade de calorias dos alimentos consumidos. Pesquisadores de Harvard fizeram um estudo que mostrou que dietas ricas em farinha branca e bebidas açucaradas resultavam em ganho de peso. Já os alimentos integrais estão associados à perda de peso, ainda que a contagem de calorias desses alimentos seja semelhante
  • 13 45Quer acabar com a barriguinha? A dica é apostar nas fibras solúveis. De acordo com estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Wake Forest, nos EUA, consumir mais fibra solúvel –presente nos legumes, nas frutas e no feijão– e realizar atividades físicas ajuda a eliminar ou reduzir a gordura visceral
  • 14 45Comer os mesmos alimentos todos os dias pode ajudar a emagrecer. Segundo estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, a repetição deixa a pessoa tão desinteressada nas refeições, que faz com que ela coma menos
  • 15 45Uma estratégia simples pode ajudar muito a eliminar uns quilinhos. Segundo pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (EUA), pensar na saúde antes de selecionar o que você vai beber e comer aumenta as chances de fazer boas escolhas alimentares
  • 16 45Quer comer melhor? Então fique em casa. Segundo pesquisa da Universidade de McGill, as pessoas tendem a escolher alimentos menos calóricos, mais saudáveis e nutritivos quando estão em casa. Isso por que o lar é onde as pessoas se sentem mais acolhidas e tem emoções positivas associadas às refeições caseiras
  • 17 45Mastigar mais a comida ajuda a consumir menos calorias. A fome é em grande parte controlada por sinais hormonais, incluindo a da grelina, que aumenta a sensação de fome. Os pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Harbin Medical University, na China, descobriram que quem mastigava mais tinha menores níveis de grelina
  • 18 45 Passar fome atrapalha o emagrecimento. Isso porque quando o corpo sente fome as células cerebrais liberam sinais que deixam o metabolismo mais lento e causam mais fome ainda. Os pesquisadores da faculdade de medicina Albert Einstein, em Nova York, bloquearam esse sinal cerebral em ratos, o que fez com que eles fossem mais magros e comessem menos, mesmo após um período passando fome
  • 19 45 O lugar onde você mora influencia no seu treino e até na tentação de comer um hambúrguer. Uma pesquisa publicada no periódico “The Lancet Public Health” mostrou que ter uma academia ou uma lanchonete como vizinhos afeta os riscos de obesidade. De acordo com o estudo, quem vive mais próximo da academia e longe de redes de fast-food eram mais magros e tinham menos gordura corporal
  • 20 45 Anda enquanto fala no celular? Os adeptos de atividades físicas “espontâneas”, como caminhada, ficar em pé enquanto cozinha etc., são mais magros. É que, de acordo com o estudo publicado no Current Opinion in Endocrinology, Diabetes and Obesity, essas atividades despretensiosas aumentam consideravelmente o número de calorias queimadas em um dia.
  • 21 45 A leptina, um hormônio que extingue a sensação de fome entre pessoas com boa saúde, poderia ser eficaz no tratamento da obesidade, segundo pesquisa realizada com cobaias. A maior parte dos humanos com excesso de peso são resistentes à leptina, mas, ao combinarem medicamentos que atuam no fígado, os cientistas conseguiram fazer ratos perderem peso mesmo consumindo alimentos ricos em gordura
  • 22 45 Um estudo da Universidade College (Inglaterra), mostrou que a gula pode estar ligada a fatores genéticos. Os pesquisadores descobriram que crianças que apresentam o gene FTO – conhecido como hormônio da obesidade – comem mais do que as outras. Isso ajudaria a explicar porque algumas pessoas não sabem quando parar de comer. Contudo, hábitos dos pais e a disponibilidade de comida também interferem
  • 23 45 Ao emagrecer, temos uma redução do peso por conta da diminuição do teor de gordura dentro dos adipócitos, mas não pela redução do número dessas células. Um estudo dinamarquês conclui que o número das células de gordura não diminui após os 20 anos. Em outras palavras: o cuidado para não voltar a engordar precisa ser constante, pois a célula continua lá e pode voltar a ser preenchida por gordura
  • 24 45 Caminhar apenas 30 minutos por dia pode ser o suficiente para evitar o aumento de peso que ocorre com o envelhecimento, segundo estudo da Universidade da Carolina do Norte (EUA), que acompanhou, por 15 anos, cerca de 5 mil pessoas entre 18 e 30 anos. Descobriu-se que, entre as mulheres mais pesadas, caminhar por esse tempo diariamente reduzia, em até 450 gramas por ano, o ganho de peso
  • 25 45 Comer devagar pode ajudá-lo a emagrecer. Ao longo de seis anos, um estudo japonês avaliou mais de 60 mil pacientes com diabetes. Quem diminui a velocidade das garfadas durante as refeições teve uma diminuição nas medidas da cintura e no IMC, reduzindo ainda em 42% a possibilidade de se tornarem obesos
  • 26 45 Pense na sua comida preferida. Pode ser aquela deliciosa lasanha, um bife suculento ou um irresistível brownie de chocolate. Agora, tente suprimir a sua vontade de comer. Você terá mais sucesso nessa difícil tarefa se for homem, de acordo com um estudo americano que monitorou a atividade do cérebro de indivíduos diante de suas comidas preferidas
  • 27 45 De acordo com pesquisadores da Universidade Elissa Epel (EUA), aprender técnicas de redução de estresse e alimentação consciente pode ajudar na prevenção do ganho de peso, mesmo que a pessoa não faça dieta. No estudo, o grupo que foi orientado a meditar diariamente e aprendeu a identificar sensações de fome, saciedade e satisfação perdeu gordura abdominal em relação ao grupo controle
  • 28 45 Ingerir porções controladas de alimento no almoço ajuda a emagrecer, mesmo que as outras refeições do dia sejam livres. Segundo a pesquisa da Universidade Cornell, voluntários que consumiram almoço com uma pequena redução na porção apresentaram perda de aproximadamente 500 gramas em duas semanas e consumiram 250 calorias a menos por dia
  • 29 45 Tendo problemas para controlar a vontade de comer doces enquanto está trabalhando? Cientistas acreditam que fazer caminhadas curtas pode ajudar. De acordo com uma pesquisa desenvolvida na Universidade de Exeter (no Reino Unido), uma caminhada de 15 minutos pode diminuir a quantidade de chocolate consumida por uma pessoa em quase metade
  • 30 45 Fazer lanches entre o café e o almoço prejudica a dieta, mais do que consumi-los em outros horários do dia. Um estudo mostrou que mulheres que lanchavam na parte da manhã perderam 7% do peso, enquanto quem não tinha esse costume perdeu 11%. Além disso, elas estavam mais propensas a lanchar mais durante o dia. Isso aconteceria porque a pessoa faz por hábito, e não para saciar a fome
  • 31 45 Comer fora de casa, quando associado a um programa de prevenção de ganho de peso, pode ajudar a emagrecer. Um estudo analisou 35 mulheres entre 40 e 59 anos, que comiam fora constantemente. Dezenove delas seguiram o programa, aprendendo a selecionar os alimentos de acordo com as calorias e também a meditar. Com isso, mesmo comendo em restaurantes, elas perderam em média 2kg a mais que as outras
  • 32 45 Consumir gorduras nos deixa menos vulneráveis a emoções tristes, mesmo sem sentir o estímulo do paladar. Quem garante é um estudo da Universidade de Leuven (Bélgica). Segundo eles, pessoas induzidas por imagens e sons tristes tinham um índice de tristeza 50% menor quando recebiam ácidos graxos (gordura) no estômago por uma sonda do que quando recebiam apenas uma solução salina
  • 33 45 Cerca de 400 aditivos utilizados pelos fabricantes de alimentos são praticamente desconhecidos e desconhecemos seus efeitos a longo prazo em nosso organismo. A pesquisadora Barbara Corkey explicou no congresso da Associação Americana de Diabetes que um espessante utilizado na produção de diversos alimentos industrializados, o monoacilglicerol, está ligado a alterações no metabolismo
  • 34 45O cérebro de obesos apresenta traços de inflamação, fazendo com que responda de forma diferente às informações sobre a gordura corporal, gasto calórico e ingestão alimentar, segundo pesquisa da Unicamp, feita através de observação da atividade cerebral de um grupo antes e depois de cirurgia de redução de estômago, além do grupo controle. Eles apresentaram menor atividade do hipotálamo
  • 35 45 Crianças obesas perdem mais peso quando comem sobremesas de baixo índice glicêmico mais vezes por semana do que uma sobremesa mais calórica uma vez por semana, mostrou um estudo grego que testou crianças de 10 a 14 anos com sobrepeso ou obesidade, divididos em dois grupos que faziam a mesma dieta, mas tinha essas estratégias. Ambos emagreceram, mas quem comeu sobremesas menos calóricas perdeu mais
  • 36 45 Consumir melaço em pequenas doses diárias auxilia na redução do peso a longo prazo. Ele é rico em polifenóis, grupo de substâncias químicas encontradas em diversas plantas e com propriedades antioxidantes. Um estudo australiano, feito em animais, descobriu que substituir de 2% a 4% da ingestão calórica por melaço durante ao menos 12 semanas ajudou a controlar o peso sem alterar as calorias
  • 37 45 Pessoas com traços de personalidade como neuroticismo ou impulsividade têm maior chance de passar por ciclos de ganho e perda de peso. De acordo com a análise do National Institute on Aging (EUA), a impulsividade é o principal fator de previsão de ganho de peso, pois esses indivíduos “tendem a ceder à tentação e não tem a disciplina para ficarem focados através de dificuldades e frustração”
  • 38 45 Mulheres que recebem apoio emocional controlam melhor a alimentação, melhoram a visão sobre seu corpo e perdem mais peso. Pesquisadores analisaram dois grupos de mulheres, sendo que um deles participou de sessões semanais com terapeuta. Elas apresentaram melhores resultados do que o que recebeu apenas informações técnicas sobre boa nutrição, gerenciamento do estresse e importância de cuidar de si

    39 45

  • Poucas calorias com ingestão modesta de carboidratos diminui mais a gordura abdominal, diz um estudo da Universidade do Alabama (EUA). Dois grupos ganhavam as mesmas calorias na forma de proteínas (18%), mas um recebia 43% em carboidratos e 29% em gorduras, enquanto o outro tinha 55% de carboidratos e 27% de gorduras. O com pouco carboidrato perdeu 11% mais gordura visceral e 4% mais gordura total
  • 40 45 Pessoas que consomem grandes porções de alimentos utilizando garfos grandes ingerem quantidades menores de comida. Os pesquisadores explicam que isso pode ocorrer porque é mais difícil visualizar a quantidade da porção ingerida quando ela é maior. Assim, pontos de referência externos, como o tamanho do garfo, ajudam a pessoa a determinar quanto alimento ela deve consumir

    41 45 

  • A pesquisadora Barbara Corkey, durante o congresso da Associação Americana de Diabetes, demonstrou que um espessante utilizado na produção de diversos tipos de alimentos industrializados, chamado monoacilglicerol, está ligado a alterações no metabolismo. Esses compostos seriam capazes de alterar a secreção de insulina, aumentando o risco de obesidade e do diabetes do tipo 2
  • 42 45Crianças e adolescentes que comem doces tendem a ganhar menos peso durante a vida adulta e a correrem menos riscos de sofrer de obesidade, segundo estudo da Universidade Estadual de Louisiana (EUA). Apesar de terem entradas mais elevadas de energia (calorias), eles parecem ter uma habilidade de ingerir e eliminar calorias de forma mais eficiente, adquirindo equilíbrio ao longo do tempo.
  • 43 45Consumir suplemento de proteína junto com duas grandes refeições (café, almoço e jantar) do dia é boa estratégia para perder gordura e ganhar músculos. Em estudo publicado no Nutrition Reviews, quem fez isso aumentou em 100% a proporção de massa magra em relação à massa gorda –ou seja, ganharam a mesma quantidade de músculos que perderam gordura. Já os que consumiram nos lanches evoluíram 84%.
  • 44 45Muita gente não toma suco de laranja por achar que ele prejudica o emagrecimento. Porém, em uma pesquisa publicada no periódico Nutrition, pessoas que ingeriram o suco tiveram uma perda de peso semelhante a quem não o consumiu. Mais: quem tomou a bebida reduziu a insulina circulante no sangue. Isso pode melhorar a metabolização de gordura e favorecer a redução das medidas corporais.